ParkTool, marca referência em ferramentas para bicicletas agora é distribuída pela ISAPA

PARK TOOL – A MARCA REFERÊNCIA EM FERRAMENTAS PARA BICICLETAS É DISTRIBUÍDA NO BRASIL COM EXCLUSIVIDADE PELA ISAPA.

A Park Tool desenvolve e produz ferramentas para bicicletas desde 1963. Quase toda linha de produtos é desenvolvida e fabricada na sede da empresa em St. Paul em Minessota nos Estados Unidos.

A Park Tool é a maior fabricante de ferramentas especificas para bicicletas no mundo. Comprometidos com qualidade, inovação e a atendimento ao cliente a Park Tool se tornou a primeira escolha de mecânicos profissionais e ciclistas entusiastas.

A credibilidade das ferramentas Park Tool é comprovada pela escolha das principais equipes do Tour de France. Das últimas 13 equipes vencedoras do Tour, 12 utilizam ferramentas Park Tool.
No Brasil a ISAPA se preocupa em oferecer ao segmento de bicicletas produtos com qualidade que superam a expectativa do cliente. Consciente de sua responsabilidade de atender a comunidade ciclística e acompanhar a evolução do mercado, a ISAPA disponibiliza para mecânicos e entusiastas o que há de melhor para os cuidados com a bicicleta.

“Acreditamos que o ciclista brasileiro merece produtos atualizados e com qualidade, tanto para bicicleta quanto para o próprio ciclista. Por isso buscamos qualidade com tudo que trabalhamos, sejam acessórios, bicicletas ou ferramentas. Esse é o momento das lojas valorizarem os serviços prestados. São as revisões, consertos e serviços que ajudam a manter o consumidor frequentando as lojas de bicicletas. Por isso oferecemos Park Tool ao mercado, lojistas e consumidores encontrarão ferramentas que ajudarão na qualidade dos serviços disponíveis para bicicletas”. Daniel Douek, diretor da ISAPA.


Entre os itens comercializados neste primeiro momento pela ISAPA, destacamos:

1- Kit para mecânicos entusiastas AK-2, composto por 40 ferramentas para vários modelos de bicicletas, contendo as principais chaves para serviços essenciais para quem faz a limpeza e manutenção em casa.

2- Kit para mecânicos profissionais PK-2, composto por 65 itens, desde ferramentas para limpeza até ferramentas específicas como alinhador de gancheira, torquímetro e guia para rota interna.

3- Canivete MTB -7 – ideal para situações de emergência, contém 21 ferramentas para consertos emergenciais, vem com um uma capa para proteção e o padrão de qualidade Park Tool.

4- Alinhador de rodas TS-2.2p – indispensável para lojas e oficinas que buscam excelência em mecânica de bicicleta.

Nova linha de vestuário S-PHYRE

Linha de vestuário S-PHYRE aponta uma nova direção para a Shimano no mercado ciclístico

Marca japonesa apresenta a sua linha de roupas de desempenho, a S-PHYRE, após fazer o lançamento das sapatilhas com o mesmo conceito na metade de 2016

São Paulo (SP) – Após anunciar em agosto de 2016 a linha S-PHYRE de sapatilhas de performance, a Shimano traz mais uma novidade ao mercado do ciclismo. A marca japonesa expande a partir de 2017 o conceito S-PHYRE, ao incluir uma linha de vestuário, e estabelece desta forma uma nova referência em vestimenta de desempenho da empresa. O conceito do S-PHYRE tem um objetivo: maximizar a transmissão de energia, proporcionando mais desempenho por peso, cortar o vento e usar o efeito de acoplamento para criar um produto mais eficiente.

A linha traz consigo a ideia de que a geração de energia já é difícil o suficiente. Assim, os ciclistas não precisam perder watts para a física de arrasto aéreo, fricção ou superaquecimento. O S-PHYRE é projetado para limitar essas perdas através de avanços tecnológicos, aplicando princípios de articulação e movimento em um sistema completo entre a bike, o corpo e o movimento dos músculos do atleta.

Com este ponto de partida, junto com o conhecimento do bikefitting.com e estudos de performance com ciclistas profissionais, a Shimano entrega uma linha técnica de vestimenta para o ciclismo, composta por camisa, bretelle, macaquinho, luvas e meias. Produtos que maximizam a eficiência nos pontos de contato entre vestuário e pele, capacitando os ciclistas para alcançar o próximo nível de desempenho desejado.

“A linha S-PHYRE é a expressão mais recente de nossa paixão por liderar, usando tudo o que sabemos sobre o desempenho para criar um vestuário de ciclismo meticulosamente projetado. S-PHYRE faz jus a tudo o que você espera de Shimano e tudo que exigimos de nós mesmos”, destaca Marco Zaja, diretor-ajunto da Shimano Europa na área de acessórios.

Camisa e bretelle S-PHYRE – A camisa apresenta ombros sem costura com uma construção em 3D para reduzir as rugas e pregas no ombro. Possui os bolsos anatômicos, que dão acesso fácil aos artigos guardados na roupa. Um zíper de comprimento total ajuda a regulação da temperatura e logotipos discretos completam o visual. Está disponível nas cores preta e amarela.

O bretelle apresenta um forro de absorção de choque, grip na perna integrado no tecido para uma melhor aderência e segurança e a tecelagem do tecido da parte superior interna da coxa para uma perda zero, sem atrito na interface do bretelle com o selim.

Luvas S-PHYRE – A luva de primavera/verão é uma extensão aerodinâmica da camisa, minimizando o atrito com o seu design de puxar para colocar/tirar conseguindo dessa maneira menos volume de material junto à área do pulso. A construção 3D oferece excelente aderência e controle de bicicleta na palma da mão, enquanto os painéis de compressão da parte de trás da mão e do pulso são projetados para se encaixar como uma segunda pele, unindo mão, luva e manete, para o controle total do ciclista.

Meias S-PHYRE – Lançadas em 2016 juntamente com as sapatilhas S-PHYRE, as meias são uma extensão do pé, tornozelo e parte inferior da perna, proporcionando amortecimento em áreas de pressão, além de ventilação e resistência ao deslizamento na sola e calcanhar. Os tecidos no tornozelo asseguram uma rotação eficiente do pedal.

No mercado – A equipe do World Tour, LottoNL-Jumbo, irá correr na temporada de 2017 com as linhas de roupa e sapatilhas S-PHYRE e trabalhará junto com a Shimano para o desenvolvimento de produtos no futuro. A linha de vestimenta e as sapatilhas S-PHYRE estarão disponíveis no Brasil a partir de abril deste ano.

Instalação correta da Blocagem Shimano Quick Release

Aviso de segurança importante sobre o sistema Shimano Quick Release

Instalação correta do sistema Shimano Quick Release

O Manual do Utilizador Shimano contém as seguintes instruções relativas à correta instalação dos sistemas de bloqueio rápido.

■ Informação de Segurança Importante

Entre em contato com o local de compra ou revendedor de bicicletas em caso de instruções que precisem de ser substituídas.

Posição do manípulo de bloqueio rápido para cubos compatíveis com rotor

• Instale o sistema de bloqueio rápido no rotor conforme mostrado na figura 1 e, em seguida, empurre o manípulo de bloqueio rápido para a posição “CLOSE” (Fechar), certificando-se que não interfere com o rotor. Caso o manípulo de bloqueio rápido interfira com o rotor, instale-o no lado oposto da roda.

• Quando o manípulo de bloqueio rápido estiver na posição CLOSE (Fechar), deve ficar numa posição paralela à forqueta (consulte a Figura 2a a) ou voltado para a traseira da bicicleta (consulte a Figura 2b b), de modo a evitar que objectos estranhos, como galhos de árvores, fiquem presos à passagem, o que poderia desbloquear o sistema e soltar inadvertidamente a roda da forqueta.

• Deve também assegurar que a forqueta não interfere com o movimento do manípulo de bloqueio rápido.
Caso a forqueta impeça o curso do manípulo de bloqueio rápido, impedindo uma fixação segura da roda, esta poderá soltar-se da bicicleta em andamento e resultar em ferimentos graves.

• Após ter lido com atenção o manual, deve guardá-lo num local seguro, para consulta futura.

AVISO

• O manípulo de bloqueio rápido apenas deve ser movimentado à mão. Nunca utilize ferramentas, como martelos, para apertar o manípulo de bloqueio rápido, pois pode danificar o mesmo.

Nota

• Os produtos não possuem garantia contra o desgaste e a deterioração normais decorrentes do uso e do envelhecimento.

O que é o Bloqueio Rápido?

Trata-se de um mecanismo que permite fixar e soltar a roda da bicicleta por meio de um único manípulo de bloqueio/desbloqueio rápido instalado no cubo.

Função de Bloqueio Rápido

Quando o manípulo de bloqueio rápido é empurrado para a posição de bloqueio, as porcas acoplada à alavanca são pressionadas uma contra a outra. Esta força de aperto fixa a roda ao quadro da bicicleta de forma segura.

Ajuste da força de aperto

A força de aperto pode ser ajustada rodando a porca de afinação. Quando a porca é rodada no sentido horário, a força de aperto aumenta, e quando a porca é girada no sentido anti-horário, a força de aperto diminui.

Dimensões permitidas da extremidade da forqueta

Deve utilizar apenas forquetas com dimensão adequada.

Frente – A espessura da forqueta não deve exceder 4 mm. (para Dura-Ace, 600 Ultegra: 5 mm.)
Traseira – A espessura da forqueta não deve exceder 5 mm. (para Dura-Ace, 600 Ultegra: 6 mm.)

O manípulo de bloqueio rápido Shimano tem gravadas as palavras “OPEN” (Abrir) e “CLOSE” (Fechar). Deve certificar-se que o manípulo se encontra totalmente voltado para a posição “CLOSE” (Fechar). Rodando a porca de afi nação, é possível assegurar o binário de aperto (força de aperto contra o quadro da bicicleta) adequado. Deve dedicar algum tempo a ajustar a força de aperto, assegurando que é possível empurrar o manípulo de bloqueio rápido completamente para a posição “CLOSE” (Fechar).

Pode consultar informação mais detalhada em: http://si.shimano.com/#categories/269 (para UM-3000H-003)

AVISO

• Esta roda está equipada com um cubo de bloqueio rápido para facilitar a fixação e remoção da mesma. A instalação incorreta deste cubo (roda) de bloqueio rápido na sua bicicleta pode fazer com que a roda saia da bicicleta em andamento e provocar ferimentos graves.• Use uma forqueta dianteira equipada com um mecanismo de retenção da roda.

• ANTES DA UTILIZAÇÃO, LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES DE MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE BLOQUEIO RÁPIDO CONSTANTES DO MANUAL DO PROPRIETÁRIO. EM CASO DE QUAISQUER DÚVIDAS, CONSULTE O SEU REVENDEDOR AUTORIZADO. A INSTALAÇÃO INCORRETA DO SISTEMA DE BLOQUEIO RÁPIDO DO CUBO PODE RESULTAR EM FERIMENTOS GRAVES.

Para saber como funciona o sistema de bloqueio rápido Shimano, consulte as ilustrações abaixo.

■ Mecanismo subjacente ao manípulo de bloqueio rápido Shimano

Processo de bloqueio

O Desafio por Claudio Clarindo

Em 2015 a Shimano organizou sessões do filme ‘Desafio 600K’ com Claudio Clarindo nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Quando anunciamos a exibição do documentário no Rio no Monumento a Getúlio Vargas, bairro da Glória, recebemos o telefonema de um ciclista de Miguel Pereira, região serrana do Rio. Ele insistia que queria ir ao filme conhecer o Clarindo.

No domingo, 26 de abril, pouco antes da sessão, fomos abordados por um ciclista que se identificou como Marcos Oliveira, da cidade de Miguel Pereira. Disse que estava ali para conhecer o Clarindo. Marcos nos contou sua história. Há algum tempo estava acima do peso e sedentário, até que por acaso, assistiu a um vídeo postado pelo Clarindo, onde ele falava de superação pessoal, desafios e força de vontade. “Aquilo foi um incentivo para mim. Estava procurando uma atividade para melhorar meu condicionamento e, por causa do Clarindo, comecei a pedalar. ”

Naquele domingo, Marcos realizou o sonho de conhecer a lenda Claudio Clarindo e saiu dali mais inspirado ainda. Decidiu que no começo de 2016 pedalaria de Miguel Pereira até Santos, para homenagear Clarindo, entregando uma camisa de ciclismo que ele mandou fazer especialmente para o ídolo. Infelizmente, antes que pudesse empreender sua viagem de bike, Clarindo faleceu vítima de um atropelamento na Rodovia Rio-Santos. A notícia da morte do atleta abalou a toda a comunidade ciclística e Marcos ficou igualmente arrasado por não ter podido entregar a camisa ao seu herói e inspiração no ciclismo.

Meses depois, em uma conversa no Lounge Shimano durante as Olimpíadas do Rio em 2016, Marcos decidiu retomar o projeto da viagem de bicicleta para homenagear Claudio Clarindo. Dessa vez ele iria pedalar até o monumento recém-inaugurado na Rio-Santos, exatamente no local onde o ciclista sofreu o acidente. No dia 26 de janeiro pela manhã, Marcos Oliveira partiu pedalando sozinho da cidade de Paty do Alferes, RJ, com destino à Santos, SP, para cumprir 525Km de pedal, acompanhado apenas por um carro de apoio.

Contrariando todas as dificuldades e imprevistos, na tarde de domingo dia 29 de janeiro, mês de aniversário de 1 ano da morte de Clarindo, Marcos Oliveira chegou ao monumento, local de encontro na Rio-Santos. Estavam lá esperando por ele Betinha e João Victor, viúva e filho de Clarindo respectivamente, além da amiga Margareth Sobrinho. Não havia banda música, nem multidões. Mas havia emoção e a simplicidade de quem, como Clarindo, focava em seu desafio e não se intimidava ou se importava com holofotes e pompas.

Marcos Oliveira cumpriu seu desafio pessoal e homenageou o ídolo Claudio Clarindo. Mais do que isso, chamou atenção para duas coisas fundamentais que as pessoas não devem esquecer jamais: não hesitarem diante de um desafio e se respeitarem mutuamente, principalmente no trânsito, onde os ciclistas serão sempre o elo mais frágil.

Marcos mora em Miguel Pereira onde fundou o Giro Pedal Clube e incentiva mais pessoas a encontrarem na bicicleta uma fonte de lazer, saúde e um caminho para a felicidade.

Claudio Clarindo, ultra ciclista, atleta e embaixador da Shimano, completou 5 vezes a Race Across America. Era um dos 10 melhores ciclista de ultra distância do mundo.

Shimano #DuraAce
#R9100
#Dura Ace Di2
Rodas Dura Ace

Sonic Sports lança nova coleção de roupas de ciclismo

A SONIC Sports, criada em 2010 e sediada em Goiânia-GO, trabalha na produção de vestuários funcionais para o esporte, como bermuda, bretelle, calça e camisetas de ciclismo. A missão da empresa é “Desenvolver equipamentos esportivos visando sempre o conforto, durabilidade e satisfação”. Utilizando equipamentos de alta tecnologia para entregar aos ciclistas, entusiastas e profissionais, um produto de alta performance. Vale a pena conhecer o material dessa jovem empresa localizada no centro-oeste.

LANÇAMENTO DA NOVA COLEÇÃO 2017

Nesse último dia 17/02 eles acabam de lançar sua nova linha de produtos, que incluí uma tecnologia intitulada de Série 500, esse novo forro é considerado o “Best Seller da Sonic” pois são materiais mais leves e eficazes, feitos para competições. A trama da malha é desenvolvida exclusivamente para o esporte, fazendo com que o produto seja funcional, controlando a evaporação do suor em climas frio ou quentes, fazendo com que o atleta gaste energia moderadamente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nesse último dia 17/02 eles acabam de lançar a nova coleção 2017, que inclui a alteração em todas as modelagens, a incrementação das alças em “Y” nos bretelles femininos com um feixe posterior, fazendo com que o equipamento seja mais funcional, proporcionando uma facilidade ao vestir e despir, e, principalmente, na hora de fazer suas necessidades durante um pedal. Conta, ainda, com a inclusão de acessórios, como manguitos em duas cores, base layer (indicado para o uso direto sobre a pele, evitando o atrito da vestimenta) e washer bag (saquinho para a lavagem dos equipamentos). 
 
Todos os equipamentos são feitos de microfibra de poliamida com tecnologia alemã, contam com compressão e proteção solar UV/UVA. A trama da malha é desenvolvida exclusivamente para o esporte, fazendo com que o produto seja funcional, controlando a evaporação do suor, fazendo com que o atleta gaste energia moderadamente.

Ainda, o forro é de espuma, exclusivo SONIC Sports, antibacteriano, não cria mau cheiro e, com a lavagem correta, não cepa. O forro de espuma facilita a absorção do suor e a ventilação/respiração daquela região.

Todas as peças foram feitas para o publico feminino e masculino. Dentre várias opções de equipamentos, há ainda o top feminino, que utiliza o mesmo material da série 300 e/ou 500, perfeito para sustentação dos seios.

Para mais informações visite o site da Sonic Sports clicando aqui.

As novidades do Shimano Fest 2016

shimano_fest

Festival da bicicleta é confirmado nos dias 22 e 25 de setembro no Jockey Club em São Paulo.

O principal festival da bicicleta da América Latina – Shimano Fest 2016 – vai promover sua sétima edição na história e a segunda vez no Jockey Club em São Paulo (SP), incentivando a qualidade de vida, saúde, estilo de vida, esporte e a liberdade. Neste ano, o evento ganhou mais dois dias e uma área específica para negócios.

Shimano Fest 2016 acontecerá entre 22 e 25 de setembro, com entrada gratuita (doação de alimentos é sugerida) sendo os dois primeiros dias, quinta e sexta, serão exclusivos para a imprensa e profissionais do setor, enquanto o sábado e o domingo (24 e 25) será aberto ao público.

“É um ano complicado para o país, mas apostamos numa nova proposta de unir lazer, mobilidade e negócios. Buscamos continuar crescendo, sempre envolvendo as marcas do nosso setor. Shimano Fest é um festival, sempre com a preocupação de não perder essa característica de testar produtos, assistir competições, entre outras atividades, enfim, promover uma experiência completa aos visitantes,” explica Rogério Tancredi, gerente de marketing da Shimano Latin América.

O evento é considerado o maior festival da América latina, que na edição 2015 reuniu cerca de 15 mil pessoas, quase 50 expositores e 80 marcas presentes.

Novidades

A organização aguarda por 25 mil e mais de 100 marcas do mercado. O eveno foi dividido em seis arenas:

Bike Expo – area de exposição, lançamentos e tendências, um espaço de vendas e área para testes de MTB, Estrada e Bikes urbanas;

Bike Kids – mini bikes, tira rodinhas e atividades para crianças;

Bike Show – parceria com a rádio 89FM com dois shows grandes e área de food trucks;

Bike Competition – competição UCI para os atletas profissionais; corrida de cyclocross, provas para amadores (novidade); criterium road na rua para profissionais e amadores (novidade a definir);

Bike Mobility – espaço para mobilidade, cicloturismo e assuntos relacionados ao transporte sustentável, com exibição de filmes, curtas e atrações com temas ambientais;

Bike Radical – espaço do BMX para apresentações e demonstrações mais extremas, com rampas e outros obstáculos;

Na área de exposição são 42.300 metros quadrados de infraestrutura e apoio para o evento no Jockey Club.

“Queremos trazer marcas fora do mercado da bike para enriquecer o evento, como bancos e outras empresas fortes,” acrescenta Rogério que revelou que neste ano não haverá a Cycle Fair, feira do mercado da bicicleta. “Com isso acreditamos no evento oficial da Shimano, em que ao longo dos anos nunca cobramos das marcas e agora queremos que cada um pague um pedaço da pizza para fazer uma pizza mais gostosa,” descontraiu Tancredi.

#Respeito Pela Bike

Neste ano, o Shimano Fest passa a utilizar o mote #Respeitopelabike. “Vamos trazer o passeio do Pedal das Capivaras para dentro do evento no domingo. Trocamos o mote de #Todospelabike por #Respeitopelabike em virtude do aumento da violência contra o ciclista,” resume Rogério.

Um dos principais objetivos do evento é sensibilizar mais pessoas quanto à segurança dos ciclistas nas ruas e estradas, motivado pela perda trágica do ultraciclista Claudio Clarindo, embaixador da marca, morto no dia 25 de janeiro deste ano enquanto treinava, além de outros casos recentes em todo o País.

“Em 2016, o Shimano Fest vem com a mensagem de paz e respeito nas ruas e estradas. Não queremos ver mais vidas perdidas por falta de cuidado e atenção entre todos as partes envolvidas na engrenagem do trânsito das cidades: motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres. Em homenagem a Claudio Clarindo, verdadeiro herói da bicicleta por tudo que fez pela divulgação do ciclismo e da mobilidade alternativa, a sétima edição do Shimano Fest convida todos a se juntarem a nós por esta causa”, finaliza Rogerio Tancredi.

Como tudo começou

Um ano antes do Shimano Fest ganhar o status de festival, muitos não sabem, mas a origem do evento aconteceu em 2009 com a realização do Shimano Short Track, na Fazenda São Silvano, em Morungaba (SP).

Quando o formato de prova curta de mountain bike cross country (STXC) ainda era pouco difundido no Brasil, na ocasião, a Shimano foi o grande patrocinador do evento, posteriormente, levando este formato dinâmico para um circuito latino-americano de short track.

Em 2010, o conceito de evento ao ar livre ganhou novas atrações, unindo a bike e a pesca. Já batizado de Shimano Fest, o evento inédito aconteceu em Santana de Parnaíba (SP), numa celebração do esporte, reunindo famílias e atletas profissionais.

Crescendo a cada ano, entre 2011 a 2013 o festival foi realizado na Fazenda ASW em Mogi das Cruzes (SP), com destaque a realização de prova de downhill, além do tradicional short track, exposição de produtos, atrações culturais, entre outras atividades.

O sucesso no Brasil foi tamanho que, em 2012, o evento extrapolou as fronteiras e ganhou uma versão na Argentina. Depois, o Shimano Fest passou em 2014 por Sorocaba (SP), fortalecendo a bandeira da mobilidade urbana, até chegar na area nobre da maior cidade do país em 2015.

Para mais informações, acesse: www.shimanofest.com.br

Por Andre T.Piva

Bike Fit: as principais dúvidas e seus benefícios com Marcelo Rocha

O Blog da Fer Alvees fez uma entrevista com o educador físico Marcelo Rocha, que explicou as principais dúvidas sobre Bike Fit e seus benefícios.

1. BLOG da Fer Alvees: Você já foi ciclista?
Marcelo Rocha: Minha história com a bicicleta começou aos 7 anos competindo no bicicross, mais tarde um pouco no MTB (modalidade que estava bem no início em Brasília, e na época era difícil acharmos trilhas e companheiros para os pedais), no ciclismo de estrada corri cerca de 10 anos na categoria Elite, cheguei a correr para um time no interior de São Paulo, correndo algumas Voltas como a de São Paulo e Santa Catarina, e ainda corri provas de triatlon de longa distância entre os anos de 2002 e 2005. Hoje em dia mantenho meus pedais, mas sem intuito de competir.

2. BLOG da Fer Alvees: Porque você escolheu o Bike fit? Começou com outro serviço e se interessou depois pelo fit?
Marcelo Rocha: O bike fit foi uma necessidade minha na verdade, percebi que as pessoas tinham pouca ou nenhuma informação sobre isso, e eu mesmo sempre tive dificuldades em encontrar o posicionamento neutro em cima da bicicleta. Então na faculdade de Educação Física eu comecei a pesquisar sobre o tema, e em 2002 viajei para fora para realizar o primeiro curso na área. Desde então já viajei 14 vezes para cursos nos Estados Unidos e Holanda, e não pretendo parar de investir nisso.

3. BLOG da Fer Alvees: Como você analisa o ciclismo de forma geral no país?
Marcelo Rocha: Tive oportunidade de trabalhar de perto com Equipes como a GARMIN e SKY, e vejo que a maior brecha que temos na verdade, não é só falta de estrutura (isso está claro), mas o comportamento dos atletas é um pouco diferente. Lá eu percebi que em geral eles estão mais abertos às orientações, tive a oportunidade de fazer o fit de alguns atletas da GARMIN junto de um amigo e também instrutor da RETUL, e os atletas nos tratam muito bem, são muito receptivos às nossas orientações. Acredito que daqui umas duas gerações, se conseguirmos começar um trabalho realmente pautado claro na observação da prática, mas principalmente com respaldo científico, nós poderemos melhorar e muito. Vide o exemplo da Colômbia.

4. BLOG da Fer Alvees: Com base nos seus atendimentos em seu estúdio, você conseguiria citar alguns os erros mais comuns dos ciclistas com relação a regulagem da Bike?
Marcelo Rocha: Os erros mais comuns estão normalmente: no ajuste dos tacos; escolha do formato adequado de selim; ajuste de nível e recuo de selim; ajuste de altura de selim; ajuste de alcance de guidão (tamanho e ângulo de mesa).

5. BLOG da Fer Alvees: Muitas pessoas vão no achismo para regular a bike, quais as consequências dessas regulagens inadequadas?
Marcelo Rocha: O que vejo em alguns casos é que as pessoas querem encontrar um padrão visual em cima da bicicleta, ou para o formato que o ciclista assume em cima dela, ou um padrão visual da própria bicicleta quando ele está fora dela. O guidão “tem”que estar assim ou de outro jeito, sua frente “tem”que se parecer com fulano e etc. Os riscos são diversos, esse tipo de senso comum desconsidera as características funcionais de cada ciclista: flexibilidade, forma de pedalar, forma como se senta no selim, objetivo da prática esportiva, etc. Não é difícil ver ciclistas em posição bastante fora da neutralidade, e com diversas queixas e lesões, pelo fato de terem seguido alguma regra ou padrão visual.

6. BLOG da Fer Alvees: Como é feito o Bike fit em seu estúdio: equipamentos usados, com a bike, sem a bike, tecnologia empregada na regulagem?
Marcelo Rocha: Ofereço os serviços de bike fit com o uso de análise tridimensional do posicionamento e biomecânica de pedaladas com o sistema de infra-vermelho RETUL (atualmente considerado o melhor sistema de análise de movimento para uso em bike fit, é o equipamento padrão das Equipes GARMN, SKY, EUROPCAR, ORICA entres outros atletas e centros esportivos). Faço um mapeamento da análise da pressão na superfície do selim com um sistema alemão (em alguns casos incluo análise do perfil de pressão dos pés e mãos) , possuo um simulador dinâmico de bicicletas para teste da geometria mais adequada de bicicletas (esse serviço é feito sem a bicicleta, e o objetivo é indicar a combinação bicicleta + selim + guidão + mesa + pedivelas, antes da compra). Junto do simulador, utilizo o acesso à uma base “on-line” de bicicletas, chamada de “frame finder”, nessa ferramenta eu desenho em 3 dimensões e podemos visualizar em tempo real, a bicicleta pretendida, sobreposta em cima do resultado do simulador de bicicletas. Junto disso fazemos um questionário sobre a vida pregressa do ciclista, lesões, queixas e etc, e realizo avaliações funcionais como: flexibilidade, comparação de membros inferiores, análise de arco plantar e pisada, estabilidade do centro do corpo e etc.

7. BLOG da Fer Alvees: Na sua opinião qual seria o intervalo correto para se refazer um Bike fit, já que com o tempo vamos melhorando a flexibilidade, a força e a resistência?
Marcelo Rocha: Todas as vezes em que houver troca de algum ponto de contato com a bicicleta (selim, guidão, ou no caso da “speed” os passadores, e pedais), é necessária uma revisão. Caso haja ganho significativo de flexibilidade ou outra característica funcional importante, ou mesmo nos casos de alguma lesão que limite sua mecânica de pedaladas ou o contato com a bicicleta, procure novamente seu “fitter”.

8. BLOG da Fer Alvees: Existe um período de adaptação após o Bike fit, mesmo para pessoas acostumadas a pedalar com frequência?
Marcelo Rocha: Com certeza, em geral umas 4 à 6 semanas para completa adaptação.

9. BLOG da Fer Alvees: Para finalizar, quais os benefícios do que um Bike fit pode gerar para um ciclista?
Marcelo Rocha: São diversos, a certeza de estar em contato com a bicicleta de maneira neutra, com maior parte de seu peso sobre o selim, bom alcance de guidão, e bom contato com os pedais. E com a mecânica correta de pedaladas, com os membros inferiores trabalhando em graus de extensão e flexão neutros. E mais do que isso, saber que as suas características funcionais foram levadas em consideração no momento das correções. Temos que enxergar o exercício feito em cima da bicicleta, como algo extremamente repetitivo, então a proposta é minimizar ou eliminar a sua possibilidade de se lesionar, ou de perder desempenho por conta se um ajuste inadequado.

O BLOG da Fer agradece a excelente entrevista que concedeu Marcelo Rocha, tenho certeza que a reportagem será de grande valia para muitos atletas. Mais informações sobre o entrevistado tem no site www.marcelorocha.com ou pelo telefone (61) 3034-6613.

Trek apresenta sua linha Superfly 2015

Asset_261849

A Trek, conhecida por suas bicicletas inovadoras e de alta qualidade, apresenta a linha de mountain bikes Superfly 2015. A nova linha apresenta o que há de mais avançado em tecnologia, firmando um compromisso total com a velocidade, criando a opção perfeita para os pisos mais irregulares em competições de longas distâncias, sem perder o controle e o desempenho durante a corrida.

Tire peso e ganhe velocidade, esse foi o objetivo na construção da Superfly. Com recursos avançados como gancheiras Closed Convert, com roteamento interno dos cabos, quadros de carbono e alumínio, a bike ficou leve e super veloz. As novas suspensões proporcionam ao ciclista dirigibilidade precisa em baixas velocidades, sem comprometer a estabilidade nas altas. Os componentes da Superfly são Bontrager e o kit de transmissão Shimano ou Sram.

Além disso, a nova linha Superfly traz o conceito Smart Wheel Size, que garante o tamanho certo de roda em cada tamanho de quadro: rodas 27,5 pol. em quadros 15,5 pol., 29er em 17,5 pol. em diante.

Conheça em detalhes toda linha Superfly 2015 acessando:

http://www.trekbikes.com/br/pt/bikes/mountain/cross_country/superfly/

Confira a loja mais próxima:

BikeTechCuritiba – Curitiba
BikeTechJardins – SãoPaulo
BikeTown – São Paulo
Ciclopé – Goiânia
KeppsBike – Jundiaí
O Ciclista Elétrico – Manaus
Pedra Bikes – Florianópolis
TheBikes – Campinas
TheBikes – Jundiaí
TouregBikes – Caxias do Sul
TuttoBike- São Paulo
Twnis Bike – Blumenau
VeloSports – Fortaleza
ViverBike – Vila Velha
WorldBike – Campo Grande

 

Sobre a Trek:
Buscando atender um consumidor mais exigente e conectado às constantes inovações do mercado internacional, a Trek tem o compromisso de manter sempre viva a alma inovadora presente em várias gerações desde a criação da marca em 1976, apostando sempre no ciclismo como o esporte do futuro e opção mais adequada para meio de transporte.

www.trekbikes.com.br

Facebook: www.facebook.com/TrekBicycleBrasil
Instagram: www.instagram.com/trekbrasilracing

Toyota RAV4, feita para ciclistas

Um carro feito para ciclistas, essa é a Toyota “Life Time Fitness RAV4” que vai apoiar os atletas patrocinados pela Toyota, este veículo possui uma quantidade de regalias jamais vista no mundo do ciclismo, com funcionalidades desenvolvidas para trazer mais “inteligência” para a equipe dos atletas Sarah Haskins, Andy Potts e Hunter Kemper. O veículo esteve em exposição no SEMA Show, em Las Vegas 5-8 novembro.

A equipe adicionou características personalizadas, que incluem um chuveiro de água quente com um tanque de 5 litros de água doce, um secador de rotação e compartimentos de armazenamento de engrenagem na área de carga traseira. O atleta também pode desfrutar de uma massagem de shiatsu no banco da frente ao rever as estatísticas de corrida e os dados de rastreamento através do iPad ® integrado. O relaxamento não termina por ai, além da massagem, no banco traseiro, um frigorífico foi colocado, nele tem água e um liquidificador. Outra funcionalidade, um alto-falante sem fio Bluetooth permite que a música seja ouvida pelo atleta fora do veículo. Um rack de teto personalizado mantém duas bicicletas bem seguras e com fácil acesso.

Galeria de Imagens:

Vídeo: